Programa

 

O Colóquio contará com palestras plenárias, minicursos, apresentação de pôsteres e sessões técnicas em diversas áreas. Além disso, teremos a participação do PET-Matemática da UFSC divulgando suas atividades.

Clique aqui para baixar a programação completa (arquivo .pdf)

Palestras

 

Todas as palestras serão realizadas no Auditório Garapuvu, no Centro de Eventos da UFSC.

  • Paolo Giulietti (UFRGS)

    L-functions and Anosov flows (Resumo)

  • Mario Carneiro (UFMG)

    Matemática e Arte: a geometria da perspectiva (Resumo)

  • Ruy Exel (UFSC)

    Qual a probabilidade de uma caixa de fósforos cair em pé? (Resumo)

  • Elizabeth Karas (UFPR)

    Otimização Irrestrita e Fractais (Resumo)

  • Marcelo Terra Cunha (UFMG)

    Mecânica Quântica, Probabilidades e Grafos (Resumo)

  • Roberto Imbuzeiro Oliveira (IMPA)

    Como estimar um vetor com ruído (Resumo)

  • Paolo Piccione (USP)

    As superfícies de Delaunay, ontem e hoje (Resumo)

  • Abramo Hefez (UFF)

    Sobre a Conjectura ABC

  • Miguel Ferrero (UFRGS)

    Ideais Primos em Anéis de Polinômios e Temas Relacionados

Para mais informações sobre as datas, clique aqui.

Minicursos

 
  • 1. Aplicações de Análise a Álgebra Linear
    Augusto Armando Castro Junior (UFBA)
    Local: Auditório Garapuvu (Resumo) (Notas)
  • 2. Métodos para Resolver Equações Diofantinas
    Diego Marques (UnB)
    Local: Auditório Garapuvu (Resumo)
  • 3. Introdução à Álgebra Max-Plus
    Alexandre Baraviera e Flavia Branco (IM-UFRGS)
    Local: Auditório Garapuvu (Resumo) (Notas)
  • 4. Estatística para Estudantes de Matemática
    Sílvia L. P. Ferrari e Mônica Carneiro Sandoval (USP)
    Local: Sala Laranjeira (Aulas 1, 2 e 3) e Auditório Garapuvu (Aula 4) (Resumo) (Notas)
  • 5. Curvas Elípticas e Aplicações Familiares: Fatoração em Primos
    Parham Salehyan (Unesp-Ibilce)
    Local: Sala Pitangueira (Resumo) (Notas)
  • 6. Teoria Espectral de Grafos - Uma Introdução
    Nair Abreu (UFRJ), Renata Del-Vecchio (UFF), Vilmar Trevisan (UFRGS), Cybele T. M. Vinagre (UFF)
    Local: Sala Goiabeira (Resumo) (Notas)
  • 7. Geodésicas em Superfícies de R^3
    Rafael Ruggiero (PUC-Rio)
    Local: Sala Goiabeira (Resumo) (Notas)
  • 8. Métodos Matemáticos na Ciência de Dados: Introdução Relâmpago
    Vladimir Pestov (U. Ottawa)
    Local: Sala Pitangueira (Resumo) (Notas)
    Slides: Aula 1 Aula 2 Aula 3 Aula 4
  • 9. Introdução às representações de grupos finitos
    Fabio Xavier Penna (UNIRIO)
    Local: Sala Laranjeira (Aulas 1, 2 e 3) e Auditório Garapuvu (Aula 4) (Resumo) (Notas) (Slides)
Voltar ao topo da página

Sessões Técnicas

 
Voltar ao topo da página

Outras Atividades

 

Atividades PET - Matemática (UFSC)

Apresentação dos projetos desenvolvidos pelo PET - Matemática da UFSC, incluindo:

  • Olimpíada Regional de Matemática (ORM)
  • Olimpíada Reginal Mirim de Matemática (ORMM)
  • Gauss Pré-Vestibular
  • FERMAT
  • IV Encontro de Matemática Universitária
  • VI ENAPETMAT
  • Pesquisas individuais realizadas pelos membros do Programa
  • Ciclo de Palestras
  • Tematemática

Quando: de segunda (28/04) a quarta (30/04), das 8h às 18:30h, no Hall do Centro de Eventos da UFSC.

Voltar ao topo da página
 

Resumos das Palestras

 
  • Paolo Giulietti (UFRGS)

    L-functions and Anosov flows

    It is known that given a closed, oriented, hyperbolic manifold and a good description of its fundamental group, it is possible to compute the analytic torsion of the manifold by using closed geodesics and their lengths. As in [Fried, 1986], we will show that, among other statistical informations, such computation is encoded in an $L$-function, which is a meromorphic function, well-defined at least on some half complex plane, similar in spirit to other dynamical zeta functions. The questions to be answered, for such class of functions, are tied to their analytic continuation, the location of their zeros and poles. In particular, $L$-functions can be defined for Anosov flows and, in such case, can be studied through a functional analytic approach based, as in [Giulietti et al., 2013], on transfer operator and anisotropic spaces.

    Voltar ao topo da página
  • Mario Carneiro (UFMG)

    Matemática e Arte: a geometria da perspectiva

    O problema da representação plana de figuras tri-dimensionais. A contribuição dos pintores do Renascimento Italiano - Giotto, Brunelleschi, Alberti, P. Della Francesca, Da Vinci; O infinto geométrico; Perspectivas e projetividades; Desargues e a Geometria Projetiva; alguns teoremas ilustrativos: Pascal, Pappus e Brianchon.

    Voltar ao topo da página
  • Ruy Exel (UFSC)

    Qual a probabilidade de uma caixa de fósforos cair em pé?

    Pretendo descrever alguns aspectos elementares da teoria das probabilidades, assim como definir a noção de custo de informação, motivando a noção de entropia. Como aplicação destas idéias, vamos responder à pergunta acima com base nos princípios físicos de minimização de energia e maximização de entropia. Embora elementares, as idéias presentes na palestra são fundamentais em Mecânica Estatística e dão origem à noção de equilíbrio de um sistema termodinâmico assim como à condição KMS (Kubo-Martin-Schwinger).

    Voltar ao topo da página
  • Elizabeth Karas (UFPR)

    Otimização Irrestrita e Fractais

    Muitos problemas práticos podem ser modelados como a minimização de uma função com ou sem restrições. Otimização é a área que estuda métodos para resolução de problemas deste tipo. A ideia desta palestra é apresentar alguns conceitos desta área procurando enfatizar aspectos geométricos da teoria. Serão apresentados alguns métodos de Otimização irrestrita e discutidas bacias de convergência de um destes métodos relacionando com a geometria fractal.

    Voltar ao topo da página
  • Marcelo Terra Cunha (UFMG)

    Mecânica Quântica, Probabilidades e Grafos

    A Mecânica Quântica é a primeira teoria física fundamentalmente probabilística. Ainda que tenha atingido sua forma madura no fim dos anos 20, sua fundamentação ainda é incompleta e sujeita a intensos debates. Se, por um lado, problemas aparentemente simples em mecânica quântica foram responsáveis pelo desenvolvimento de boa parte da análise funcional, por outro, a busca por bases mais sólidas tanto pode abrir caminho para uma generalização da teoria de probabilidades, quanto tem se aproximado da teoria dos grafos e de algumas de suas vertentes comumente aplicadas a e pela ciência da computação. Nessa palestra pretendemos nos concentrar nessa última parte, apresentando para o público geral do Colóquio resultados recentes e ainda em evolução sobre como a teoria de grafos pode ajudar na compreensão da mecânica quântica.

    Voltar ao topo da página
  • Roberto Imbuzeiro Oliveira (IMPA)

    Como estimar um vetor com ruído

    Nesta palestra vamos considerar um problema muito simples: como estimar um vetor v a partir de uma observação da forma X=v + r, onde $r$ é um termo de “ruído aleatório”. Embora aparentemente trivial, este problema é geral o suficiente para englobar várias tarefas fundamentais em Estatística e Processamento de Sinais. Nesta palestra discutiremos alguns resultados e surpresas relacionados ao problema. Uma das surpresas é o chamado fenômeno de Stein: em três ou mais dimensões, é sempre mais vantajoso tentar estimar as coordenadas de v “todas juntas” do que estimá-las uma a uma. Isto é verdade mesmo que as coordenadas de v representem informações completamente desencontradas. Além disto, há situações em que podemos obter estimadores ainda melhores, por exemplo quando v tem a maioria das suas coordenadas iguais a zero. Este é o cenário trabalhado na áreas de “compressed sensing” e do estimador LASSO, que discutiremos no final da palestra (mencionando alguns resultados recentes que obtivemos a respeito).

    Voltar ao topo da página
  • Paolo Piccione (USP)

    As superfícies de Delaunay, ontem e hoje

    Um resultado clássico da geometria de superfícies em R^3, devido ao astrônomo francês Charles-Eugène Delaunay (1841), é a classificação de todas as superfícies de curvatura média constante no R^3 que sejam rotacionalmente simétricas. Esta classe de superfícies consiste de: planos, esferas, cilindros, catenoides, nodoides e unduloides. Uma classificação análoga existe no caso de superfícies da 3-esfera S^3. Nessa palestra vou apresentar algumas propriedades destas superfícies e motivar a construção de superfícies de tipo Delaunay em ambientes mais gerais.

    Voltar ao topo da página

Comitê Local

  • Daniel Gonçalves
  • Celso Doria
  • Cleverson Roberto da Luz
  • Danilo Royer
  • Gilles Gonçalves de Castro
  • Giuliano Boava
  • Maria Inez Cardoso Gonçalves
  • Martin Weilandt
  • Melissa Weber Mendonça
  • Paul Krause

Comitê Científico

  • Artur Lopes (UFRGS)
  • Carmen Mathias (UFSM / SBM)
  • Celso Doria (UFSC)
  • Clóvis Gonzaga (UFSC)
  • Daniel Gonçalves (UFSC) (coordenador)
  • Elizabeth Karas (UFPR)
  • Miguel Ferrero (UFRGS)